sexta-feira, 15 de Janeiro de 2010

Curiosidades Sobre o Alentejo


Da calma paisagem das vastas lezírias do Ribatejo aos extensos terrenos áridos e dourados do Alentejo, a paisagem calma não é mais que uma cortina que esconde um património inimaginável.


O turista é apanhado de surpresa pelos remarcáveis traços de sucessivas culturas: dolmens e cromlens, vestígios árabes e romanos misturados com os mais recentes sinais do cristianismo, do qual os castelos medievais são claro exemplo.

O litoral da região, situado ao longo das margens do rio Tejo e dominado por Santarém, consiste em terrenos verdes e férteis, onde pastam, pacificamente, os melhores touros e cavalos. Mais para o interior estão situadas as lindas aldeias e cidades que compõem a famosa Rota dos Castelos: Nisa, Castelo de Vide, Marvão, Portalegre e Alter do Chão.

Mais para sul, os terrenos tornam-se mais secos e planos; em redor de Évora (uma das cidades mais bonitas de Portugal) estão situadas as vilas de Monsaraz, Vila Viçosa, Estremoz e Arraiolos (conhecida pelos seus tapetes feitos à mão baseados em desenhos dos séculos XVII e XVIII).

Quanto mais para sul, menos povoadas se tornam as planícies, as únicas sombras são proporcionadas pelas oliveiras e pelos carvalhos e os únicos locais frescos são as represas e barragens. Uma viagem ao Alvito, a Beja, a Serpa e a Mértola valerá sempre a pena. A costa alentejana oferece ao turista magnificas praias atlânticas. Sendo uma região com a maior amplitude térmica (desce aos 5º C ou sobe aos 33ºC), as zonas povoadas das Planícies estão muito dispersas e com vastos horizontes entre elas, onde a vida segue ao ritmo das canções regionais.

Beja - Antiga cidade romana, foi mais tarde um centro cultural muçulmano. No Museu Rainha Leonor estão expostos valiosos vestígios arqueológicos. Outros patrimónios: as igrejas de Santo Amaro (Visigótica) e de Santa Maria; o convento de S. Francisco e eastelo; a Ermida de Santo André (Gótico - Mudéjar) e Ruínas romanas em Pisões.

Borba - Afamada pelos seus queijos e vinhos, Borba é também conhecida pelo seu património arquitectónico e a sua história. Palco de várias batalhas entre portugueses e espanhóis, há quem remonte as origens de Borba aos celtas. Dominada por romanos, godos e árabes, foi conquistada a estes últimos por D. Afonso II. É mais tarde D. Dinis quem manda erguer a muralha e o castelo.

O que visitar: Igreja Matriz, Fonte das Bicas, jardim Municipal, castelo.

Castelo de Vide - Também chamada Sintra do Alentejo, um passeio por Castelo de Vide e as suas redondezas pode revelar-se um verdadeiro sonho, pontuado pela beleza da paisagem e da arquitectura.O que visitar: As várias fontes de Castelo de Vide, com a água que vem directamente da Serra de S. Mamede, a Sinagoga, bem como a antiga judiaria, as várias ermidas e igrejas.

Elvas - O facto de ter sido em tempos uma área relativamente periférica atraiu pouco os povoadores. Hoje, Elvas e o seu concelho, vivem uma realidade diferente. É uma urbe que muito deve à sua condição fronteiriça. A sua paisagem natural e construída seduz quase de imediato o visitante.A visitar: Aqueduto da Amoreira, Castelo de influência romano-árabe, Forte de Nossa Senhora da Graça, Igreja Matriz.

Evora - Cidade museu de origem romana, com uma zona histórica classificada na lista de Patrimónios Mundiais da Humanidade da UNESCO. Hoje o bonito centro histórico ocupa uma área de 105 há e possui cerca de 4000 edifícios

Marvão -Esta vila tranquila está cercada por muralhas construídas entre o século XIII e XVII. Das suas ruelas estreitas demarcadas por casas airosas e brancas pode obter-se uma vista espectacular, pois Marvão fica a mais de 862 metros de altitude. Perto de Marvão, é possível jogar golfe na Vale da Aramenha.

Mértola - Mértola é uma vila muito antiga, situada na encosta do rio Guadiana. No império romano, altura em que o concelho se denominava Mirtylis, Mértola era um importante centro de escoamento mineiro e agrícola, em todo o Baixo Alentejo. Em 1239, D. Sancho II doou o castelo de Mértola à Ordem de Santiago, e em 1254 recebeu foral. A vila é constituída por um notável património cultural, monumental e arqueológico. A sua mesquita do séc. XI, única no país, foi reconstruída no séc. XII. Neste século foi habitada pelo povo marroquino, altura em que foram edificadas contruções militares de grande prestígio

Monsaraz - Nesta localidade respira-se a genuína alma alentejana. Debruçada sobre a vasta planície, a vila parece planar, perdida no tempo, enclausurada nas muralhas do castelo que a rodeia na totalidade. Um dos locais com mais carisma do nosso país.A visitar: Porta do Buraco, Igreja Matriz, Museu da localidade.

Moura - O nome de Moura nasce de um misto de história e de lenda. Salúquia, filha do governador árabe da região, esperava a chegada do noivo quando a comitiva deste foi atacada e ele foi morto por guerreiros portugueses, que então se disfarçaram com as vestes dos árabes e conseguiram enganar Salúquia, a qual mandou baixar a ponte levadiça. Diz-se que se suicidou, atirando-se do alto da torre do castelo, tanto pelo desgosto causado pela morte do noivo como por remorsos pela vitória do inimigo.

Ponte de Sor - é uma vila simpática, rodeada de um cenário verdejante e com várias igrejas e capelas interessantes, como a Igreja da Misericórdia com uma imagem do Espírito Santo do século XVI. Contudo, a principal atracção turística da região é a Barragem de Montargil, onde os adeptos da pesca desportiva encontram muito para se entreter, e os outros podem igualmente beneficiar, deliciando-se com uma sopa de peixe que já ganhou fama nos restaurantes locais.

Portalegre - Entre as torres e as muralhas do castelo medieval estão situados os Paços do Concelho e o Hospital da Misericórdia. Vale a pena visitar: a Catedral, o Convento de São Bernardo, a igreja de São Francisco.,O Mosteiro (séculos XIII - XVIII) e os museus Regional, de Arte Sagrada, da Biblioteca Municipal e da Casa de José Régio.

Santiago do Cacém - A vila é dominada pelo castelo de origem árabe, reconstruído pelos Templários em 1157, e das suas muralhas avista-se um soberbo panorama da Serra de Grândola, a Nordeste. As muralhas da fortaleza também rodeiam o cemitério e a Igreja Matriz, do século XIII e com um relicário de prata que se diz conter um fragmento do Santo Lenho. Num monte perto de Santiago do Cacém, em Miróbriga, foram encontrados importantes vestígios de um antigo centro romano, e as escavações já puseram a descoberto um fórum, dois templos, termas e um coliseu.

Serpa - Nesta localidade respira-se a alma do baixo alentejo. Longe dos grandes centros urbanos, Serpa mantém viva uma genuínidade há muito perdida noutras paragens. Sempre presente está a boa gastronomia e o muito artesanato.A visitar: Igreja Matriz, igrejas do Salvador e de Santa Maria. Igreja da Misericórdia.Nos arredores: Serpa está rodeada de pequenas ermidas.

Sines - Tem as qualidades paisagísticas e ecológicas que fazem desta uma das faixas mais preservadas do litoral europeu. Com 642 anos de história, nos principais monumentos da cidade ouve-se o eco da voz de Vasco da Gama, o seu filho mais dilecto. Praias belíssimas, uma gastronomia onde o marisco é rei e eventos culturais de qualidade fazem de Sines um destino de férias a descobrir.

Sousel - é uma vila despretensiosa com vários templos religiosos interessantes, como a Igreja Matriz (século XVI e que integra diversas campas brasonadas de interesse histórico e artístico), a Igreja da Misericórdia (século XVIII, com o altar-mor em talha dourada), ou a Igreja de Nossa Senhora da Orada (construída no século XV mas depois modificada e aumentada, com azulejaria azul e branca do século XVIII), entre outras.

Gastronomia
Nesta região, a comida é também muito variada e saborosa. Pode escolher entre as enguias guisadas, a sopa de sável ou a lampreia do Tejo, os chouriços de Castelo de Vide, de Nisa, de Arronches ou de Arraiolos, ou o cabrito guisado, a lebre com feijões vermelhos e o coelho frito em azeite do Alentejo. Prove os deliciosos pães da região, que pode comer com os queijos de ovelha de Serpa, de Nisa e de Évora ou com o queijo de cabra do Alandroal. Nesta região encontrará também, uma pastelaria muito variada, como as "celestes" de Santarém, a "palha" de Abrantes, os bolos "imperiais" de Almeirim, os de Évora confeccionados à base de ovos e de massa de amêndoa e os doces dos conventos de Portalegre e de Beja. Não esquecer a fruta: os melões de Almeirim e de Alpiarça são muito famosos. Prove também os vinhos do Cartaxo, de Almeirim, de Borba, de Reguengos e da Vidigueira.

Fonte: Portugal Virtual

Sem comentários:

Enviar um comentário